Blog

mao-segurando-caneta-checando-papel-em-uma-mesa

Sabe aquele sonho da casa própria que ainda não se realizou? Hoje há diversas formas de facilidades de pagamento para que você possa tirar esse sonho do papel e consiga garantir uma propriedade em seu nome. 

O financiamento de imóvel tem sido uma das opções mais práticas para realizar este investimento. Quer saber como fazer? Prossiga na leitura deste texto e acompanhe com a gente!

O que é financiamento de imóvel?

O financiamento imobiliário é uma condição facilitada que um banco pode oferecer para quem deseja investir em um imóvel. Basicamente o banco empresta uma determinada quantia de dinheiro para que você possa pagar a dívida em prestações e com juros. O financiamento pode ser destinado tanto para a compra de um imóvel pronto, novo ou usado, quanto para um terreno com o objetivo de construir.

Para diminuir o valor dos juros e evitar prejuízos, o recomendável é se planejar bem previamente e dar um bom valor de entrada. Até que toda a dívida seja concluída, o direito sobre o imóvel é do banco. 

Quais são os tipos de financiamento?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) costuma ser o tipo de financiamento mais utilizado por grande parte dos brasileiros – inclusive, já fizemos um conteúdo com muitas dicas sobre como utilizá-lo para comprar ou construir um imóvel (confira aqui) -, mas também há a opção de financiamento por meio do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) ou diretamente com uma construtora. Confira algumas das principais particularidades de cada um:

  1. Financiamento pelo FGTS

É o tipo mais tradicional do mercado, oferece taxas de juros mais baixas e diversas condições especiais – você pode ter até 35 anos para concluir as parcelas da compra de seu imóvel ou lote.

Porém, para utilizá-lo é necessário seguir algumas regras: ter mais de 18 anos, ser brasileiro ou possuir um visto permanente no país, possuir determinada renda familiar máxima (que varia de acordo com a região do Brasil), ter capacidade civil e de pagamento e querer negociar um imóvel que esteja localizado no mesmo município ou na região metropolitana onde você comprove que possui residência há mais de um ano.

  1. Financiamento pelo SBPE

Por meio do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, não há limite de renda e os valores das taxas de juros não podem ser superiores a 12% ao ano.

A carta de crédito SBPE utiliza recursos próprios para tornar mais prática a aquisição de imóveis e permite que o financiamento possa ser feito dentro ou fora do Sistema Financeiro de Habitação.

  1. Financiamento com a construtora

Além das opções apresentadas acima, também é possível realizar o financiamento diretamente com a construtora. Além de ser mais prático, esta alternativa oferece mais flexibilidade e não impõe limites de renda ou taxas de juros sobre os valores financiados.

Porém, é recomendável optar por construtoras que fazem financiamento direto com o banco para conseguir uma transação com segurança e taxas mais atrativas. 

É preciso também atentar para o histórico de negociações da construtora, pois caso a empresa vá à falência antes da conclusão da obra, você poderá ficar sem o imóvel e correr o risco de sofrer possíveis prejuízos.

Dica extra: Realizar o sonho da casa própria requer bastante atenção e cuidado! Por isso, em qualquer uma das opções, o ideal é que você possa ter a ajuda de um corretor experiente no mercado imobiliário para saber quais documentos são necessários, o que você precisa avaliar e como você pode se preparar melhor em cada etapa para utilizar o financiamento e fechar um bom negócio. 

Quer ficar por dentro de mais assuntos como este? Continue acompanhando o nosso blog ou confira nossas redes sociais: Facebook e Instagram.

Comentários

Open chat